Instituto Politécnico de Lisboa

Eco-sensors4Health

Eco-sensors

Designação do projeto

Eco-sensors4Health: Eco-sensores na promoção da saúde: Apoiar as crianças na criação de escolas eco-saudáveis

Código do projeto: LISBOA-01-0145-FEDER-023235

Objetivo principal OT 1 - Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação

Sumário

O projeto Eco-Sensors4Health desenvolverá e utilizará uma plataforma colaborativa, facilmente disseminável, de monitorização e intervenção na saúde, bem-estar e ambiente, permitindo às crianças eco-inovarem, na criação de escolas saudáveis e sustentáveis, com recurso a TIC quotidianas, como os sensores. Esta plataforma e o toolkit de disseminação, que apoiarão outras escolas na conceção, implementação e monitorização das ações das crianças na saúde ambiental, serão duas aplicações inovadoras testadas de resposta aos desafios societais.

A plataforma será um sistema participativo de criação e monitorização de ambientes saudáveis e sustentáveis, com o qual as crianças relacionarão ações de curto prazo com impactes a longo prazo, compreendendo as relações entre os sistemas urbanos, marítimos e rurais, numa região costeira e numa região interior. Os Institutos Politécnicos de Lisboa e Viseu estarão envolvidos em todas as atividades do projeto. A Ciência Viva Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica participará na criação de atividades com os sensores e na disseminação do projeto. A Câmara Municipal de Viseu colaborará na implementação e disseminação das soluções de saúde ambiental criadas pelas crianças.

A plataforma permitirá às crianças participantes criar ações inovadoras, nomeadamente na diminuição dos riscos para a saúde e da sua pegada ecológica, hídrica e de carbono, por exemplo novas soluções de mobilidade, nomeadamente em colaboração com a Câmara Municipal.

A aquisição de informação pelos sensores será comunicada pelas crianças e docentes, através de telemóveis e tablets e gerida pela plataforma, apoiando as decisões para a eco-inovação participativa, com vista a uma melhor saúde ambiental da escola, visando uma minimização dos custos financeiros. As crianças e docentes participantes desenvolverão competências na matemática e ciências do ambiente, melhorando a sua literacia tecnológica, ambiental e em saúde.

Desenvolver-se-ão três estudos de caso, em escolas de 1.º ciclo de ensino básico, uma na região Centro e duas na Região de Lisboa. Usar-se-á uma metodologia participativa, desenvolvendo a aprendizagem baseada na resolução de problemas, em comunidades de prática.

A avaliação das competências desenvolvidas pelas crianças será qualitativa e quantitativa (com utilização de grupos de controlo e aplicação de pré e pós testes), validando o toolkit. O desenvolvimento da plataforma será participativo, com prototipagem rápida. A adequação da plataforma para a melhoria da saúde ambiental das escolas será avaliada. O projeto contribuirá, assim, para: a promoção da saúde ambiental; a gestão mais sustentável de recursos, visando uma transição para uma economia de baixo teor de carbono; a utilização das TIC (na promoção da saúde), por todas as crianças; a cidadania participativa, baseada no conhecimento; o desenvolvimento de cidades sustentáveis, criativas e inteligentes, integrando a cultura urbana com a rural e a marítima.

Região de intervenção: Centro, Lisboa

Instituição Proponente: Instituto Politécnico de Lisboa

Instituições Participantes: Instituto Politécnico de Viseu, Ciência Viva - Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica, Município de Viseu

Investigador responsável: Maria João Silva | mjsilva@eselx.ipl.pt

Equipa: Alexandra Souza, Ana Caseiro, Ana Rita Alves, Anabela Novais, António Almeida, Bianor Valente, Carla Viegas, Carlos Luz, Cláudia Chaves, Cristina Azevedo Gomes, Margarida Rodrigues, Maria Clarisse Nunes, Maria Isabel Abrantes, Nuno Almeida, Nuno Melo, Pedro Rito, Susana Viegas, Vítor Manteigas

Data de aprovação: 07/07/2017

Data de início: 12/10/2017

Data de conclusão: 13/04/2019

Custo total elegível: 99.306,59 €

Apoio financeiro da União Europeia FEDER: 43.211,39 €

Apoio financeiro público nacional/regional OE: 41.199,22 €