Instituto Politécnico de Lisboa

Docente lança livro sobre as raízes históricas da Escola Superior de Educação de Lisboa

ESELx

6 Março 2018

Docente lança livro sobre as raízes históricas da Escola Superior de Educação de Lisboa

Nuno Martins Ferreira, docente e coordenador do projeto de investigação Memória e Identidade, lançou um livro sobre a história da Escola Normal Primária de Lisboa e o edifício emblemático onde está localizado a Escola Superior de Educação de Lisboa - ESELx. A apresentação do livro decorreu no dia 5 de março no anfiteatro da ESELx e contou com a presença de estudantes, professores e membros das direções da escola e do Politécnico de Lisboa.

Segundo o autor, o livro é o resultado de um trabalho contínuo de investigação que teve como base o arquivo histórico da ESELx. Sobre os alicerces da Escola Normal Primária de Lisboa, o professor Nuno Martins Ferreira recordou as palavras de Adolfo Lima, um dos pedagogos que acompanhou a fundação da escola da Quinta de Marrocos: “O alicerce da escola é a solidariedade humana. Aprendemos a ensinar a solidariedade humana! Aperfeiçoemo-nos para aperfeiçoar os nossos semelhantes. É para isto que somos professores!” 

Na ocasião, Cristina Loureiro, presidente da Escola Superior de Educação de Lisboa, reconheceu a importância da ampla investigação documental realizada para o reconhecimento do património histórico da escola. Também Elmano Margato, presidente do Politécnico de Lisboa, reforçou que “o trabalho das unidades orgânicas tem sido essencial para a valorização social do IPL”, reforçando que “vivemos um momento de viragem onde se deve privilegiar os cursos que exigem investigação.”

A Escola Superior de Educação de Lisboa tem raízes que remontam ao reinado de D. Luís e ao ano de 1862, quando foi criada a Escola Normal Primária de Lisboa. Instalada no Palácio dos Marqueses de Abrantes, em Marvila, esta Escola admitia apenas alunos do genero masculino. A Escola Normal Feminina, localizada no Calvário, iniciou a sua atividade no ano de 1866. A partir de 1914, as duas Escolas Normais fundiram-se e passaram funcionar em regime de coeducação, em edifício próprio, localizado na Quinta de Marrocos em Benfica.

No âmbito das comemorações do ano europeu do património cultural, Nuno Ferreira concluiu a sessão apelando à reflexão conjunta sobre a classificação pública do edifício da ESELx dado o seu interesse nacional.

Texto e Imagem MNunes

<b> Joaquim Pinto da Silva, Elmano Margato, Cristina Loureiro e Martina Ricci </b> <b> O docente e investigador Nuno Martins Ferreira da ESELx </b> <b> Elmano Margato, presidente do IPL </b> <b> A Escola Normal Primária de Lisboa em Benfica </b>