Instituto Politécnico de Lisboa

ESML. A tua voz não me é estranha

ESML

21 Julho 2020

ESML

Na Escola Superior de Música de Lisboa (ESML), o burburinho dos instrumentos musicais é rotina. A Escola Superior do Politécnico de Lisboa onde a música reina – e onde por isso mesmo o silêncio e a acústica devem ser prioridades máximas – está localizada junto a uma das estradas com mais trânsito e mais ruído da capital. Um fator a acrescentar a tantos outros que explicam as instalações de reconhecido prestígio internacional, nomeadamente no plano arquitetónico.

Hoje na ESML, amanhã nos palcos

ESML

O prestígio à escala nacional e internacional resultam da permanente preocupação com o prestígio do ensino e a garantia da abertura à inovação.  Os estudantes que todos os dias circulam nos corredores com os instrumentos às costas e uma mão cheia de partituras repletas de rabiscos têm sonhos e objetivos diferentes. Mas há algo que os une: a música. O testemunho de Hugo Costa, aluno da ESML, destaca esse ponto. “Ser estudante na ESML significa fazer parte de uma grande família unificada pelo mesmo propósito – a Música –, que nos corre nas veias e está presente em todos os momentos da nossa vida”, testemunha.

Elisa, vencedora do Festival da Canção 2020, estuda na ESML. Uma em tantos outros músicos que no passado mostravam a sua arte nas salas da ESML, e hoje o mostram nos palcos do país e do mundo. É normal que alguns deles não te sejam estranhos.

Uma sala aberta à comunidade

ESML

O Auditório Vianna da Motta é a sala da ESML, com capacidade para 400 pessoas, onde os jovens músicos da Escola que integram os agrupamentos residentes da ESML mostram o seu trabalho em concertos abertos ao público. Com objetivos pedagógicos, os agrupamentos musicais, dos quais se destaca a Orquestra de Jazz, de Sopros ou a Orquestra Sinfónica, mostram o trabalho feito ao longo do ano letivo também fora de portas em importantes salas de espetáculo do país e do estrangeiro.

Texto: RM