Instituto Politécnico de Lisboa

Plano de Contingência do Politécnico de Lisboa (atualizado 17.09)

IPL

2 Março 2020

O presidente do Politécnico de Lisboa, Elmano Margato aprovou, através do despacho n.º 55, em complemento do despacho n.º 48/2020 o Plano de Contingência elaborado pelo Serviço de Saúde Ocupacional IPL e respetiva implementação, com o objetivo de prevenir e limitar a probabilidade de infeção pelo SARS-CoV-2 na Comunidade Académica do IPL.

Despacho n.º 48/2020-IPL - Plano de Contingência

Despacho n.º 55/2020-IPL - Complemento ao Plano de Contingência 

Despacho n.º 56/2020-IPL - deslocações de carácter particular ao estrangeiro

Despacho n.º 64/2020-IPL - funcionamento de júris à distância

Plano de Contingência do Politécnico de Lisboa (atualizado a 17.09.2020)

Sumariamente, o Plano de Contingência do Politécnico de Lisboa aplica-se às Unidades Orgânicas e Serviços do Politécnico de Lisboa e dirige-se a:

  • Toda a comunidade académica
  • Prestadores de serviços
  • Visitantes

O plano define os procedimentos preventivos e reativos, a implementar na comunidade do IPL, face ao risco de infeção por COVID-19.

No âmbito das medidas preventivas destacam-se:

  • Deslocações ao estrangeiro em contexto de trabalho/missões académicas: não autorizar deslocações para áreas com transmissão comunitária ativa de SARS-CoV-2 e desaconselhar as de outros destinos geográficos cujo âmbito não seja imprescindível;
  • Promover um período de isolamento social de 14 dias para estudantes, docentes e não docentes que regressem de uma área com transmissão comunitária ativa de SARS-CoV-2;
  • Para os elementos da comunidade IPL (estudantes, funcionários docentes e não docentes) em período de isolamento social, facilitar a realização de atividades académicas a distância (p. ex., moodle, videoconferência), e formas alternativas de trabalho, designadamente pelo recurso a teletrabalho, reuniões por vídeo e teleconferências;
  • Evitar a realização de eventos com grande aglomeração de pessoas, sobretudo com participantes estrangeiros;
  • Informar a comunidade académica quanto aos procedimentos específicos, a adotar perante um caso suspeito no IPL;
  • Promover a literacia no âmbito COVID-19: divulgação das recomendações emanadas da DGS, através dos meios disponíveis para comunicação interna, p. ex., cuidados de higiene, comportamentos mais seguros ou boas práticas na utilização de máscara de proteção.

No âmbito das medidas face a um caso suspeito de infeção destacam-se:

  • Promover a utilização da linha Saúde 24 (808 24 24 24) como primeiro contato com o SNS;
  • Criar uma área de “isolamento” onde os casos suspeitos estabelecerão contacto com o SNS e aguardarão eventual transporte do INEM, visando impedir que outras pessoas possam ser expostas e infetadas;
  • Definir as especificidades, materiais e equipamentos necessários na área de “isolamento”, bem como os procedimentos a adotar após a sua utilização;
  • Definir os procedimentos a articular com as autoridades de saúde no caso da confirmação de algum dos casos suspeitos.

Critérios de classificação como caso suspeito de infeção

Critérios Clínicos+Critérios Epidemiológicos
Infeção respiratória aguda (febre ou tosse ou dificuldade respiratória) requerendo ou não hospitalização

História de viagem para áreas com transmissão comunitária ativa nos 14 dias antes do início de sintomas

OU

Contacto com caso confirmado ou provável de infeção por COVID-19, nos 14 dias antes do inicio dos sistema

OU

Profissional de saúde ou pessoa que tenha estado numa instituição de saúde onde são tratados doentes com COVID-19

Um caso é considerado suspeito se o individuo verificar simultaneamente os critérios clínicos e um dos critérios epidemiológicos.

Procedimentos individuais em face de sintomas correspondentes aos critérios COVID-19

O indivíduo que, dentro das instalações do IPL ou de alguma das suas escolas e institutos, apresente sintomas de infeção respiratória aguda e, simultaneamente, cumpra um dos critérios epidemiológicos acima apresentados, deve proceder à informação desse facto. Tratando-se de um estudante, deve contactar a portaria ou o docente, quando em contexto de aula. Tratando-se de um trabalhador a informação deve ser transmitida à sua chefia direta. 

Adicionalmente, o indivíduo será acompanhado à área de “isolamento”, definida e divulgada para esse efeito, e aí contactar, através de telefone disponível para esse efeito, a linha Saúde 24 (808 24 24 24) e agir de acordo com as instruções.

A informação sobre sintomas clínicos e epidemiológicos acima referida é um dever dos estudantes e trabalhadores, também quando a ocorrência desses sintomas se verificar fora das instalações do Politécnico de Lisboa ou de alguma das suas escolas e institutos através do mail covid19@sp.ipl.pt .

Medidas de prevenção da Infeção por SARS-CoV-2