Instituto Politécnico de Lisboa

Politécnico de Lisboa estreita relações com a Bélgica

ENSINO

29 Outubro 2018

Politécnico de Lisboa estreita relações com a Bélgica

Reforçar os laços de cooperação interinstitucional e promover a mobilidade académica de estudantes e docentes  são os principais objetivos do protocolo celebrado entre o Politécnico de Lisboa e a  PXL University of Applied Sciences and Arts.

A cerimónia oficial de assinatura dos diversos acordos bilaterais entre Portugal e Bélgica decorreu no dia 23 de outubro de 2018, no seguimento da visita de Estado do rei e a rainha dos Belgas, Philippe e Mathilde, e foi promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, em declarações à Agência Lusa, afirmou que "as instituições de ensino superior europeias, não só colaboram em atividades de investigação, mas também no intercâmbio de estudantes e docentes. Os protocolos, hoje, assinados vão no sentido de formar as futuras gerações de cidadãos europeus", concluiu o ministro.

Do ensino ao setor empresarial, foram, ao todo, 38, as entidades que participaram na assinatura dos 18 acordos bilaterais. A representar o Politécnico de Lisboa e a PXL University of Applied Sciences and Arts, estiveram presentes, respetivamente, Ana Cristina Perdigão, vice-presidente do IPL, e Ben Lambrechts, reitor da instituição belga.

IPL estreita relações com Bélgica IPL estreita relações com Bélgica  

Esquerda: no dia que antecedeu a cerimóniaa presidência do IPL esteve reunida com a delegação belganos Serviços da Presidência do IPL, para realizar um conjunto de apresentações instituições e discutir o protocolo de cooperação. Direita: Durante a reunião, 6 estudantes oriundos da PXL University, atualmente em mobilidade na Escola Superior de Comunicação Social (ESCS), apresentaram uma campanha de publicidade dirigida a jovens portuguesas que pretendem visitar a Bélgica, com o apoio dos docentes de Publicidade e Marketing Rui Miguel, Alexandra David e João Rosário.

Texto e Imagem MN/GCI