Instituto Politécnico de Lisboa

SAS IPL acompanham estudantes da Residência Maria Beatriz

ENSINO

24 Março 2020

SAS IPL

A partir de amanhã, 25 de março, passam a ser 36, os estudantes que permanecem na Residência Maria Beatriz, situada no Campus do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa, segundo fonte dos Serviços de Ação Social do IPL.

Na sua maioria estudantes estrangeiros, o serviço na residência tem sido assegurado, durante o dia, por um trabalhador não docente dos SAS IPL, sendo a noite acautelada pela presença de um elemento da empresa de segurança que presta serviço ao Politécnico de Lisboa.  

Segundo informações de Fernando Carmo, diretor de serviços dos SAS IPL, uma das primeiras medidas para prevenção de contágio passou pela atribuição de cartões de acesso à residência para evitar o uso do controlo biométrico.

sas ipl

No âmbito das medidas previstas no Plano de Contingência implementado pelo Politécnico de Lisboa, estão assegurados dois espaços de isolamento destinados a casos suspeitos de COVID-19, equipados com todo o material necessário a esta condição.

No campo da alimentação, a Unidade Alimentar existente no ISEL mantem-se aberta e disponível para os estudantes residentes. Segundo o dirigente dos SAS IPL, o facto de, neste momento, ter pouca afluência, faz com que o isolamento social não seja colocado em causa. Os SAS IPL têm previsto, caso se verifique algum caso de quarentena, o transporte e entrega de refeições.

Como medida de apoio aos estudantes, foram disponibilizadas, gratuitamente, fichas para uso nas máquinas de lavar e secar roupa, evitando dispêndio financeiro por parte dos jovens que permanecem no alojamento do IPL.

Da parte dos SAS IPL há a garantia de acompanhamento constante dos jovens que permanecem na residência, nomeadamente através do acesso direto a apoio psicológico. No campo da higienização, tem havido uma preocupação em garantir que a mesma seja alargada aos fins-de-semana.

Ricardo Teixeira, presidente da comissão de residentes da Residência Maria Beatriz, relata que o ambiente na residência tem estado calmo. O estudante do Instituto Superior de Contabilidade e Administração é madeirense e tinha voo marcado para início de abril, mas conseguiu antecipar para o dia 26 de março. À chegada aguardam-no duas semanas de quarentena num hotel da região. Para já o jovem opta por fazer as refeições na residência, tal como maioria dos colegas.

Texto de CSS/GCI IPL