Instituto Politécnico de Lisboa

“Sinto-me acolhido e seguro em Lisboa”

ENSINO

26 Março 2020

Lisboa

Quem o diz é Rafael Taufer, estudante de intercâmbio da Universidade de Caxias do Sul, no Brasil a frequentar a licenciatura em Música na Comunidade, na Escola Superior de Educação de Lisboa, em parceria com a Escola Superior de Música de Lisboa.

O jovem é um dos 256 estudantes incoming do Politécnico de Lisboa e está no grupo dos que optou por permanecer em Lisboa. Para além da distância em relação ao país de origem, são os preços elevados das viagens e a restrição de voos a limitar a opção do regresso.

Na sua decisão também pesou o facto do Politécnico de Lisboa estar a apostar no ensino à distância através de plataformas online, o que lhe permite dar continuidade ao curso. Rafael diz ter investido um ano no planeamento do intercâmbio, que pretende. “Provavelmente não terei oportunidade semelhante no futuro” avança.

Sem medo das palavras, Rafael diz que “Lisboa é uma ótima cidade e as medidas tomadas pelo governo são de grande cautela e de forma correta estão a lidar com a situação. A situação no Brasil se agravará e a política adotada pelo executivo federal brasileiro é insana e poderá piorar a situação por lá”.

Para já, o estudante brasileiro segue as orientações das autoridades de saúde para a prevenção da doença, evitando o contacto externo.

De acordo com informações do Gabinete de Relações Internacionais e Mobilidade Académica (GRIMA) do Politécnico de Lisboa, 37 estudantes incoming optaram pelo regresso aos países de origem, mas continuam o período de mobilidade, mantendo a frequência das aulas através do sistema de ensino virtual. A maioria destes estudantes têm esperança de poder regressar, terminar os estudos e fazer as avaliações no IPL.

O GRIMA tem mantido contacto com todos os estudantes, a quem envia, sempre que se justifique, as informações oficiais remetidas pela Direção-Geral de Saúde, Direção-Geral do Ensino Superior, Agência Nacional Erasmus+ e Comissão Europeia.

No essencial, neste contacto são dadas a conhecer aos estudantes incoming as várias opções em aberto, o regresso definitivo ao país de origem, o regresso temporário ou a permanência em Portugal e integração do sistema de ensino à distância em curso em todas as Unidades Orgânicas.

Carla Ruivo, coordenadora do GRIMA, destaca a total disponibilidade do Politécnico de Lisboa para apoiar os estudantes em situações que possam mostrar-se mais complexas.

Texto de CSS/GCI IPL

Fonte: Grima IPL