Instituto Politécnico de Lisboa

Teatro e Cinema abre portas ao empreendedorismo nas Artes

ESTC

25 Outubro 2019

ESTC

A Escola Superior de Teatro e Cinema tornou-se palco nos dias 24 e 25 de outubro, da última etapa do projeto Entrepreneurial Challenges in Theatre Higher Education Curricula (ECTHEC), apoiado pelo Programa Erasmus+, ação-chave 2, destinado a ações que permitam o desenvolvimento e a aplicação de práticas inovadoras nas instituições de ensino superior.

ESTC

Depois de dois anos de trabalho e reuniões realizadas em vários pontos da europa, o projeto, coordenado pelo Politécnico de Lisboa, que integra a Den Danske Scenekulstskole, na Dinamarca, a Guildhall School of Music and Drama, do Reino Unido, a Hochschule fur Musik un Theater Hamburg, pa LMTA Lithuanian Academy of Music and Theater, a Fondazione Teatro di Pisa e a rede École des Écoles, culminou com um encontro de docentes, investigadores e estudantes de Artes, na Escola Superior de Teatro e Cinema.

Ana Cristina Perdigão, vice-presidente do IPL

“Este deve ser o início de uma maior colaboração”, começou por dizer Ana Cristina Perdigão, vice-presidente do Politécnico de Lisboa, com a pasta da internacionalização, na abertura do primeiro dia de apresentação do ECTHEC, mostrando total disponibilidade da instituição para apoiar o projeto.

David Antunes, assumindo o duplo papel de presidente da ESTC e líder e investigador do projeto disse aos muitos participantes presentes no Grande Auditório da escola artística, que esperava “criar um bom local para a amizade e para celebrar a europa e a mobilidade possível entre instituições de ensino superior”.

ESTC

Sobre o ECTHEC, o docente e investigador deixou claro que a investigação no ensino superior deve incluir estudantes como “pares”. Ideia que David Antunes deixa expressa no texto publicado no livro de ensaios, resultado dos dois anos de trabalho no projeto, onde se refere à “quantidade de coisas que querem fazer (os estudantes), dizer e se atrevem a propor”.

Questões como: o que eu quero? O que eu preciso? O que eu posso oferecer? serviram, no projeto, para repensar as tradições nas artes, para que passem a considerar as necessidades de docentes e estudantes, através de uma revisão dos currículos, técnicas pedagógicas e a prática do ensino superior na área do teatro sob o prisma do empreendedorismo.

Mas, segundo o presidente da ESTC, o empreendedorismo, neste projeto não é visto do ponto de vista convencional, mas sim numa perspetiva de ligação às Artes. “A atitude empreendedora esteve no modo como foi gerido o projeto”, frisou.

Experimentar uma nova forma de viver a Escola

Lab/yrinth 

O resultado plástico do ECTHEC ficou bem patente na instalação artística “The Lab/yrinth”, apresentada aos participantes nos dois dias do programa. Exposto na Sala João Mota da ESTC, a instalação expôs os dois anos de reflexões e muitos materiais produzidos pelo grupo de trabalho. Os personagens vivos, nos quais se incluiu Álvaro Correia, docente da ESTC, foram interagindo com os visitantes ao longo do percurso do “Lab/yrinth”. A estrutura flexível convidava os visitantes a entrosaram-se na instalação, com espírito livre, sem lugar a formalismos, em que a expressão foi o olhar individual.

Álvaro Correia, ESTC

Paralelamente nas conversation rooms, os participantes puderam trabalhar quatro temas: personal empowerment; artistic management; philosophy and politics e sampling material and playfulness, de acordo com as condições definidas pelo responsável por cada tema, sem barreiras entre professores e alunos.

Raquel André ESTC

David Antunes, a quem coube gerir, o tema philosophy and politics, convidou a artista Raquel André, diplomada em Teatro pela ESTC, para falar da sua experiência e do processo de criação baseado no método do colecionismo, que iniciou em 2015. Neste espaço falou-se sobretudo de manifestos enquanto ferramenta para criar questões. “A elasticidade do manifesto enquanto algo artístico”, como Raquel André dizia aos participantes.

A Escola Superior de Teatro e Cinema recebeu mais de uma centena de participantes, que numa experiência de partilha quiserem fazer parte da última etapa de um projeto que visa fomentar a criação de novas redes de cooperação e partilha e construção de instrumentos que permitam dotar os estudantes das ferramentas para a criação de possibilidades de empreendedorismo no campo artístico.

École des Écoles reúne no Teatro e Cinema

ecole des ecoles

A rede europeia École des Écoles focada nos professores e estudantes de Artes Performativas que trabalha a cooperação entre escolas parceiras, através de seminários, workshops e reuniões reuniu em Assembleia geral na Escola Superior de Teatro e Cinema no último dia de apresentação do projeto ECTHEC, do qual também faz parte. A rede é constituída por escolas parceiras de Espanha, Spain, Catalunha, Alemanha, Dinamarca, Reino Unido, França, Itália, Portugal, Lituânia, Bélgica, Suiça, Holanda e Noruega. É atualmente presidida por Res Bosshart, do MA Theatre and MA Opera at Zurich University of the Arts.

Juntos, docentes, investigadores e estudantes trabalharam e refletiram durante dois anos no modo como as escolas superiores de Teatro avaliam a sua missão, definem e implementam os planos curriculares e disseminam conhecimento.

Texto de CSS/GCI IPL
Imagens de MN e LR/GCI IPL