Instituto Politécnico de Lisboa

Máscaras

Existe vantagem na utilização de máscara de proteção? 

O Conselho de Escolas Médicas Portuguesas (CEMP) produziu um documento com evidência científica que defende o uso generalizado de máscaras pela população portuguesa.

Para o CEMP a recomendação para esta utilização resulta de: 

a) a transmissão do SARS‐CoV‐2 pode ser efetuada em grande medida por pacientes assintomáticos, pré‐sintomáticos e pouco sintomáticos;

b) a permanência de aerossóis com partículas virais em suspensão perdura durante cerca de 3h;

c) a distância de aerossolização de partículas virais pode ocorrer até aproximadamente 7‐8 metros durante espirro ou tosse sem máscara;

d) a OMS e o CDC americano estão a reconsiderar as suas recomendações relativamente ao uso generalizado de máscaras. 

O uso de máscara, de forma generalizada, pelos cidadãos, tem como objetivo principal a prevenção da dispersão do vírus e a proteção do outro. Caso a adesão seja alta, resulta na nossa própria proteção por via recíproca, levando a uma proteção generalizada na comunidade:

“Eu protejo o outro, o outro protege‐me a mim!”

Esta medida é complementar e que será tanto mais eficaz quanto continuarmos todos a cumprir rigorosamente todas as outras medidas, de confinamento, de isolamento social e de higiene.

plano de contingência do IPL foi atualizado no ponto 4 - Medidas de contingência a tomar na Comunidade do IPL com a introdução do ponto 4.4, adequando-se à nova realidade:

4.4 – Utilização de máscara de proteção

Recomenda-se a utilização de máscara por todos os membros da comunidade IPL fora da sua residência, nomeadamente aquando da deslocação a instalações do IPL e suas Escolas/Institutos. 

Regras para a utilização da máscara:

Colocação da máscara:

  1. Lavar bem as mãos com água e sabão, ou em alternativa, desinfetar com uma solução anticética de base alcoólica (SABA), antes de colocar a máscara;
  2. Colocar a máscara sobre a boca e o nariz;
  3. Verificar se a máscara está perfeitamente ajustada ao rosto, certificando-se que não ficam espaços entre o rosto e a máscara;
  4. Evitar tocar na máscara durante a sua utilização, se isso acontecer lavá-las com água e sabão ou desinfetá-las com SABA;
  5. As máscaras cirúrgicas são de uso único, não devendo ser reutilizadas, nem lavadas;

Remoção da máscara:

  1. As máscaras devem ser mudadas quando estiverem sujas ou húmidas;
  2. Lavar bem as mãos antes de retirar a máscara;
  3. A máscara deve ser removida pela parte de trás (não tocando na frente da máscara), segurando nos atilhos ou elásticos;
  4. As máscaras cirúrgicas devem ser descartadas para um contentor de resíduos;
  5. As máscaras de tecido devem ser lavadas com água e detergente a 40º ou podem mesmo ser esterilizadas fervendo em água durante 15 minutos;
  6. Deve ser realizada nova higienização das mãos, no final do processo de remoção da máscara.

O IPL disponibilizará máscaras cirúrgicas e/ou máscaras de tecido certificadas pelo CITEVE.

A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa produziu uma infografia que visa promover a literacia sobre o uso de máscaras e contribuir para a sua correta utilização.  

Se optar por utilizar uma máscara de tecido, certifique-se que a mesma cumpre os requisitos da Orientação 019/2020 “Utilização de Equipamentos de Proteção Individual por Pessoas Não-Profissionais de Saúde“. Pode obter informação através da página oficial da CITEVE ou das especificações técnicas do IPQ/INFARMED.