Passar para o conteúdo principal

h1

16.09.2019
img_1260.jpg

José Cavaleiro Rodrigues é o autor da mais recente publicação do Politécnico de Lisboa, "Vidas em fuga da pobreza", lançada publicamente numa cerimónia realizada a 13 de setembro, nos Serviços da Presidência da instituição. Na base está a tese de Doutoramento do pró-presidente para a Investigação, Desenvolvimento, Inovação e Empreendedorismo, na área da Antropologia do Espaço.

Elmano Margato

A Elmano Margato, presidente do Politécnico de Lisboa, coube a condução da sessão de lançamento do livro "Vidas em fuga da probreza, Mobilidades improváveis e identidades precárias". Sobre o autor, também docente na Escola Superior de Comunicação Social, o líder do IPL ressaltou o trabalho "de muita valia", no que se refere à coordenação do Gabinete de Projetos Especiais e Inovação. "Nesta presidência houve um salto nesta matéria", disse Elmano Margato, referindo-se ao trabalho de apoio aos investigadores, quer através das publicações, quer através do apoio financeiro a projetos.

José Cavaleiro Rodrigues

"Os estudos sobre a pobreza não eram, e não são, uma área particularmente dinâmica", referiu José Cavaleiro Rodrigues, autor da obra, na intervenção. O livro resulta de um trabalho de edição, revisão e atualização teórica da tese de doutoramento de 2012. A investigação foi feita ao longo de 2 anos, junto de 28 famílias. "Queria mostrar que caminhos podem ser encontrados para o combate à pobreza", referiu.

A tese, orientada por Filomena Silvano, antropóloga e docente da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, procurou conhecer as causas e duração das trajetórias de pobreza, projetos e fatores que facilitaram as mobilidades concretas das familías. "O mérito não chega para vencer na vida, sair das classes mais baixas é uma ambição conseguida por poucos", fez questão de frizar, referindo-se à realidade social.

Filomena Silvano

"Aprendi muito com o Zé Manel e estou grata", disse Filomena Silvano, orientadora da tese de doutoramento. Sobre o papel que desempenhou no percurso de Cavaleiro Rodrigues, reconheceu que “orientar é sobretudo aprender com o outro, porque quem sabe é o outro”. Mantendo esta linha de pensamento, a antropóloga disse ter aprendido sobre pobreza, "todos participamos, sem o saber, num processo de construção da realidade social". 

Livro José Cavaleiro Rodrigues

Na sessão de apresentação estiveram presentes, para além de vários membros da equipa da presidência do IPL, dos presidentes das Escolas Superior de Educação e Tecnologia da Saúde de Lisboa, inúmeros colegas do autor, docentes da Escola Superior de Comunicação Social.

Texto de CSS/GCI IPL
Imagens de LR/GCI IPL