Passar para o conteúdo principal

h1

11.05.2022
IndieLisboa

Os realizadores Falcão Nhaga e Pedro Cabeleira, formados pela Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC), foram distinguidos na 19.ª edição do Festival Internacional de Cinema IndieLisboa, que decorreu de 28 de abril a 8 de maio. Os resultados foram divulgados no último dia do certame que reúne público e profissionais de Cinema de todo o mundo.

"Mistida", trabalho de Falcão Nhaga, recém-licenciado em Cinema pela Escola Superior de Teatro e Cinema, conquistou o Grande Prémio de Curta Metragem EMEL. O júri, que decidiu que o prémio é partilhado com o filme “The Parents Room” de Diego Marcon, declarou que esta decisão tem a ver com o facto de serem dois filmes “que nos impressionaram igualmente”. Sobre “Mistida”, uma viagem de mãe e filho pelo espaço e pelo tempo, “é desarmante a forma como o filme aborda temas complexos relacionados com história, racismo, política, relações íntimas, numa narrativa que tem lugar numa aparente, mas apenas aparente, simplicidade: a comovente caminhada de regresso a casa de mãe e filho”.

 

Image
Filme produzida

 

O filme de Falcão Nhaga, com argumento de Pedro Cabral, foi produzido pela Escola artística do Politécnico de Lisboa e tem distribuição da Portugal Film. Antes já esteve no Cinéf, secção competitiva da 75.ª edição do Festival de Cannes, dedicada a filmes de escola e novas vozes do cinema independente.

“By Flávio” de Pedro Cabeleira, licenciado em Cinema pela ESTC foi distinguido com o Prémio Escolas. A curta-metragem teve estreia, este ano, em Berlim, na competição Berlinale Shorts de 2022. Segundo declaração do júri do IndieLisboa, “o filme distingue-se na forma como questiona as ambições de uma jovem mãe solteira e a sua relação com o seu próprio corpo e imagem, e na actuação dos actores na forma como ironiza a objectificação feminina nas convenções do rap moderno, no interior urbano de Portugal.”

 

Image
By Flávio

 

O argumento de "By Flávio" é de Pedro Cabeleira e Ana Vilaça, também diplomada pela ESTC e de Diogo Vieira. Leonor Teles, jovem realizadora premiada, também formada pela ESTC, assegurou a direção de fotografia da curta-metragem.

Texto de CSS/GCI IPL