Passar para o conteúdo principal
Submetido por csilva@sp.ipl.pt a 15 September 2021

15.09.2021
newsweek

O IPL é a única instituição de ensino superior, em Portugal, a constar de uma lista de 200 que reúne as melhores Maker Schools do mundo. Foi a primeira vez que a revista internacional, reuniu as escolas que acredita fazerem a diferença no chamado movimento maker, com o objetivo de destacar as que desenvolvem programas inovadores, demonstrem talento e envolvimento da comunidade, características que já fazem parte do adn do ensino superior.

A escolha do Politécnico de Lisboa resulta do trabalho desenvolvido pela Escola Superior de Educação (ESELx), considerado relevante para a Newsweek, nomeadamente a participação na Plataforma Europa Criativa Distributed Design Platform, iniciativas Fabschools, residências criativas e a Maker Faire Lisboa, realizada no Campus de Benfica do IPL, em 2019.

Image
maker faire Lisboa
Maker Faire Lisboa no Campus de Benfica do IPL, em 2019

 

Para Carlos Pires, presidente da ESELx, “é muito importante sentir que o percurso que estamos a trilhar é alvo deste reconhecimento”. Para o dirigente da escola do IPL, “o investimento em recursos tecnológicos, direcionados ao enriquecimento das atividades letivas e de investigação e à relação com a Educação, tem sido e terá de continuar a ser, uma grande prioridade para a nossa escola”.

O presidente da ESELx enaltece, também, “a forma como o Fablab Benfica se organiza enquanto grupo de trabalho de docentes e estudantes e se estabelece enquanto comunidade, quer na sua implementação local quer através da presença em redes internacionais.”

Assim, falar de iniciativas maker da ESELx é falar da ação contínua do Fablab Benfica. Este espaço de “fabricação digital” foi fundado por um grupo de professores movido pela necessidade de aceder e dar acesso aos estudantes, a um conjunto de ferramentas de fabricação digital e a práticas colaborativas e de contacto com a comunidade, características de espaços como Fablabs e Makerspaces.

André Rocha, docente da Escola Superior de Educação de Lisboa e cofundador do Fablab Benfica, define este, como “um espaço de inovação, colaboração e contacto com a comunidade, que permite, para além disto, a integração da ESELx, numa rede internacional que abre portas a um trabalho colaborativo, que vai para além da comunidade académica”.

Para além do trabalho desenvolvido no FabLab Benfica, para a escolha do IPL/ESELx como escola maker, contribuiu a aposta da ESELx em iniciativas internacionais, que se mantiveram ativas, mesmo, durante a pandemia.

A associar a todo estes fatores, está a recente pós-graduação em Design de Produtos Interativos para Educação, também, um dos fatores que define a ESELx como uma escola maker de cariz internacional.

Para André Rocha, coordenador da nova oferta formativa, "a pós-graduação em Design de Produtos Interactivos para Educação surge com o objetivo de fortalecer a acção do design ao serviço da educação. Em paralelo, o facto de se apostar numa lógica de design aberto e distribuído e na integração de práticas maker possibilitará um curso dinâmico, com uma forte componente prática. No nosso entender, são estes os ingredientes que melhor traduzem a ideia de escola Maker.”

Texto de CSS/GCI IPL
Fonte: ESELx