Passar para o conteúdo principal

04.10.2021
Belas letras

Promover o prazer da escrita e divulgar trabalhos reconhecidos como “boas práticas” de escrita é o objetivo do prémio instituído pelo Politécnico de Lisboa. Os textos inéditos, condição para a participação, foram analisados nas categorias Prosa e Poesia, de acordo com critérios de originalidade e criatividade, coerência e coesão e correção linguística. Os vencedores têm direito a 80% da propina do ano letivo em que estejam inscritos, bem como à atribuição de um Diploma.

Na categoria Prosa, o vencedor foi Samuel Costa, do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa. Na categoria Poesia, venceu Henrique Nunes da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa.

O júri, considerando os bons resultados de algumas candidaturas, decidiu, por unanimidade, atribuir menções honrosas na categoria Prosa, a Gonçalo Borbinha, da Escola Superior de Comunicação Social e a Maria Beatriz Forjaz da Escola Superior de Teatro e Cinema.

Foram 33 os textos analisados no âmbito do Prémio Literário Belas Letras, 17 na categoria Prosa e 16 na categoria Poesia. O júri, presidido pelo pró-presidente do IPL para as Artes, Paulo Morais-Alexandre foi constituído pelos docentes Fátima Ribeiro da Escola Superior de Teatro e Cinema, Miguel Falcão da Escola Superior de Educação de Lisboa e Jorge Trindade, da Escola Superior de Comunicação Social.

Ata do Júri
Tabela de avaliação

Vencedores

Categoria Prosa

Samuel Sampaio Costa

Categoria Poesia

Henrique Martins Branco Lopes Nunes

Menções Honrosas

Categoria Prosa

Gonçalo José Pereira Borbinha
Maria Beatriz Forjaz Vidal da Costa e Silva

 

Texto de CS/GCI
Grafismo de DESIGNLAB4U